Marketing 3.0: 4 ferramentas para colocar sua empresa no topo

O marketing 3.0 consiste em desenvolver uma estratégia focada no ser humano, considerando os aspectos comportamentais, emocionais e culturais do consumidor.

Ele vai ao encontro de diversas transformações pelas quais o mercado está passando, como consumidores mais atentos à responsabilidade social das empresas, mais exigentes em relação à qualidade de produtos e serviços e cada dia mais presentes no ambiente on-line.

Ter êxito com o marketing 3.0 depende muito do posicionamento da sua marca, da forma com que você comunica seu propósito, missão e visão corporativas. O sucesso dessa empreitada também está atrelado à forma com que sua empresa se relaciona com os diversos stakeholders.

No post de hoje, vamos mostrar 4 ferramentas que podem ser usadas para que você potencialize seu marketing 3.0. Vamos lá?

Redes Sociais

É fato que as redes sociais ampliaram a capacidade de relacionamento entre pessoas e empresas. Antigamente, qualquer organização era vista como um ente isolado, contudo, esse cenário mudou.

Mostrar quem sua empresa é, quais são os valores disseminados por ela, é uma boa forma de estabelecer um relacionamento duradouro com sua audiência. E as redes sociais são excelentes canais para comunicar sua mensagem.

Uma ferramenta que permite ampla participação de ambos lados, que oferece uma comunicação ágil e transparente, favorece a credibilidade da marca e facilita a troca de experiências com seus clientes.

Eventos

Os eventos são grandes aliados no momento de colocar cara a cara empresa e consumidores. Também são a chance de mostrar o quanto sua empresa se preocupa com o público convidado, oferecendo experiências inesquecíveis.

As fases de planejamento e montagem do evento devem ser pensadas visando surpreender os convidados desde o primeiro instante. Ações que geram expectativa, como e-mails motivacionais, mostrando os bastidores ou lançando desafios mesmo antes de o evento acontecer, podem engajar o público meses antes do acontecimento.

Streaming de vídeo

Aliando eventos à tecnologia disponível, você pode impactar uma quantidade enorme de pessoas mesmo que elas não estejam presentes no seu evento. Mire-se na transmissão do Oscar, por exemplo. Quantas pessoas acompanham a premiação pela televisão ou internet?

Você pode causar o mesmo impacto transmitindo seus eventos ao vivo, para centenas ou milhares de pessoas ao mesmo tempo. A participação de quem está longe é garantida por meio de chats, mensagens e redes sociais.

Marketing de experiências

Quando falamos em marketing 3.0, devemos ter uma premissa básica em mente: atender necessidades e superar expectativas. E nada melhor do que o marketing de experiências para promover vivências únicas aos seus stakeholders.

Exemplos básicos podem ser seguidos: levar um grupo de investidores para um desafio na mata; convidar seus clientes para experimentar um túnel dos sentidos e deixar que seus consumidores experimentem um novo produto com auxílio de realidade virtual são alguns exemplos.

O marketing de experiências convida as pessoas a vivenciarem algo novo e inusitado, deixando marcas que podem ser lembradas por meses e até anos a fio.

Curtiu saber mais sobre marketing 3.0? Acompanhe a PX nas redes sociais e fique por dentro das novidades!

Momento Growth Hacking: Como fazer um negócio crescer?

O surgimento das statups de alto crescimento deu início a uma nova área de conhecimento: o growth hacking. Um hacker é uma pessoa que pensa fora da caixa e, dessa forma, descobre maneiras inovadoras de chegar a um certo objetivo.

Transportando para o marketing, um growth hacker é aquele profissional que vai ajudar sua empresa a crescer de maneira escalável, encontrando estratégias e ações incomuns, muitas vezes ousadas, para atrair mais e mais clientes.

Sim, falamos “mais e mais clientes”. Ficou interessado? Então saiba agora mesmo como fazer o seu negócio crescer!

Ofereça uma solução escalável

O ponto de partida para ter o growth hacking como seu aliado é ter um produto ou serviço que possa ser replicado milhares de vezes sem perder a qualidade e sem aumentar seu custo de produção.

Foi exatamente dessa forma que empresas como Google, Dropbox e Facebook atingiram o sucesso: encontraram uma solução que poderia ser espalhada pelo mundo rapidamente.

Na maioria das vezes, dependemos da tecnologia para atingir esse nível de escalabilidade. E é por essa razão que as soluções baseadas na nuvem têm ganhado tanto destaque nos últimos anos. Qualquer produto ou serviço que seja oferecido pela internet é capaz de romper qualquer barreira física.

Proporcione uma experiência incrível

Os produtos e serviços que são impulsionados pelo growth hacking não são milagrosos, mas proporcionam experiências incríveis para os usuários. Por exemplo: quando o Uber surgiu, todo mundo queria provar essa novidade e saber se era mesmo melhor do que um táxi tradicional.

Soluções que despertam a curiosidade, geram interesse e engajamento são o material ideal para o growth hacker. Ele simplesmente lança a ideia na rede e a repercussão se faz praticamente sozinha.

Cada pessoa que experimenta recomenda para outras dezenas – e quem sabe centenas – de pessoas. E assim sua empresa escala as vendas muito rápido. Observe como as redes sociais dominaram o mundo em tão pouco tempo e você entenderá do que estamos falando.

Mantenha o foco no seu público-alvo

Sim, sua solução deve ser escalável e relevante para a maior quantidade de pessoas possível. Contudo, no início, você precisa identificar quem tem maior urgência em usar seus produtos ou serviços e focar nesse nicho.

O Blablacar, um aplicativo de carona solidária, foi pensado primeiramente para reduzir a quantidade de veículos transitando nas cidades, o que melhoraria o fluxo de veículos, o estresse, o custo do transporte, entre outros aspectos.

A ideia deu tão certo que hoje as pessoas usam esse aplicativo para combinar viagens com pessoas completamente desconhecidas. Além de economizar nos custos de viagem, o carona conhece outras pessoas e faz amizades.

Conte com a viralidade da rede

Em tempos de internet, para fazer um negócio crescer você precisa ir muito além do marketing tradicional. O growth hacker vai pensar em ações muito semelhantes a de um vírus mesmo: instalar-se em determinado local e começar a proliferar sua ideia.

Pense no mecanismo utilizado pelo Nubank: quanto mais convites você envia para seus amigos e mais pessoas adquirem o cartão, maior o seu limite. Legal, não é?

Esse incentivo é utilizado pela maioria das empresas que utiliza o growth hacking para escalar negócios. Você transforma seu ciente em um propagador da sua solução, sem custo algum.

A última dica para fazer seu negócio crescer é nunca parar de inovar. Analise as interações dos seus clientes e consumidores, invista em uma ferramenta de Business Intelligence e identifique pontos de melhoria. Conte com o seu público mais fiel para ir aperfeiçoando suas soluções gradativamente.

E aí, vai de Growth Hacking? Conte pra gente!

eBook gratuito | O guia definitivo para alavancar resultados com inbound marketing

Devido à importância do assunto, temos abordado o inbound marketing em vários artigos de nosso blog. Chegou a hora de ir a fundo em alguns conceitos para que você possa ter uma ideia mais ampla desta técnica e de seus benefícios, assim como conhecer as variáveis de cada etapa.

No eBook de hoje, vamos entrar em detalhes sobre a metodologia e fases da estratégia do inbound marketing e falar dos principais indicadores que você precisa acompanhar para que suas campanhas sejam um sucesso e sua empresa colha todos os frutos deste recurso tão valioso.

 

 

Ações para promover seus conteúdos que você pode começar hoje!

Que o marketing de conteúdo é rei nós já sabemos: 88% das empresas utilizam essa estratégia para se aproximar do público e gerar engajamento por meio do compartilhamento de conhecimento útil e relevante. Você também já está fazendo isso? E os resultados, como vão?

Se o seu intuito é conquistar uma audiência ainda maior, veio ao lugar certo. Vamos te ensinar 5 ações para promover seus conteúdos.

Redes sociais

As redes sociais são um poderoso megafone para quem quer disseminar conteúdo de qualidade na internet e colher os frutos de uma comunicação ágil e interativa.

Em questão de segundos você atinge sua audiência, que replica a mensagem para mais pessoas e assim por diante. Além disso, você pode acompanhar em tempo real a repercussão das suas publicações.

É por esse motivo que plataformas como Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn, Pinterest e Snapchat, entre outras, são utilizadas como principais canais para impulsionar conteúdo na internet. Mas não são os únicos.

E-mail

O e-mail marketing também já tem sua eficácia comprovada quando o assunto é fazer sua mensagem chegar a um público seleto. Aproveitando sua base de leads, é possível fazer um excelente fluxo de nutrição e com isso educar sua audiência com rapidez e qualidade, entregando a mensagem certa à pessoa certa.

Mas no e-mail corporativo também é possível dar aquele destaque ao seu conteúdo. Você pode, por exemplo, inserir o link para o blog da empresa na sua assinatura de e-mail ou, ao final de uma mensagem, aproveitar o contato para convidar o destinatário a conferir o novo post lançado.

Promova conteúdos especiais

Se você tem um blog post que gerou muitos acessos ou então um e-book que fez sucesso e captou muitos leads, é interessante promover esses conteúdos em redes sociais e links patrocinados para que eles alcancem uma audiência ainda maior.

A tendência é que você aproveite melhor esses conteúdos que já fizeram sucesso sozinhos do que tentar promover aqueles que tiveram pouca repercussão.

Escreva como convidado

Outra forma de promover seus conteúdos é oferecer um artigo para um site alinhado ao seu. Se você é profissional de RH e acompanha um site de gestão de empresas, pode escrever um belo artigo e encaminhar para o proprietário do site, dizendo que gostaria de contribuir para o enriquecimento da plataforma.

Se o seu conteúdo for realmente bom, dificilmente alguém se negará a publicar seu material, ainda mais gratuitamente. É claro que o artigo vai assinado com seu nome – ou nome da empresa.

Remodele seu conteúdo

O bom do marketing de conteúdo é que podemos aproveitar o conhecimento de diversas formas. Um blog post pode se tornar um infográfico; um infográfico um template para ser usado; um template pode ser a base de um tutorial em vídeo; e assim por diante.

Transformando seu conteúdo é possível atingir audiências que antes não se interessaram por ele. Não que ele não seja relevante, mas pelo simples fato de que cada pessoa prefere consumir conteúdo por meio de um canal determinado.

Enquanto alguns preferem ler, outros preferem ouvir ou então assistir a informação.

Cinco estratégias super fáceis de implementar, não acha? Então que tal começar agora mesmo?

5 tendências de inbound marketing para 2017

Dizem que o ano começa mesmo depois do carnaval, então já está mais do que na hora de começar sua estratégia de inbound marketing! E o que há de novidade neste setor? Como você pode incrementar sua estratégia de atração, conversão e fidelização de clientes? É sobre isso que vamos falar hoje!

#1 Account-Based Marketing

O principal pilar do inbound é o marketing de conteúdo, então, nada mais natural do que vermos o conteúdo relevante e útil no centro das atenções. Uma das tendências de inbound marketing para 2017 é o Account-Based Marketing (ABM).

No Account-Based Marketing você constrói sua estratégia de inbound em torno das necessidades de cada conta, ou seja, cliente. O intuito é identificar no mercado quais empresas você quer ter como clientes e então pensar ações de inbound de maneira personalizada.

De acordo com a Marketo, 97% das empresas que investem em ABM têm um ROI (Retorno sobre o Investimento) consideravelmente maior.

#2 Mobile inbound marketing

Nem é preciso dizer que o universo mobile invadiu nossas vidas e tornou tudo bem mais fácil. A dúvida mais simples, como qual a lanchonete mais próxima da sua casa, pode ser resolvida em questão de segundos. Basta tirar o smartphone do bolso e pesquisar.

Os números não deixam mentir: 50% das buscas no Google são feitas por meio de dispositivos mobile, sendo que 20% são buscas de voz. Sabendo disso, quais tendências de inbound marketing podemos identificar?

Primeiramente, conteúdo otimizado para o mobile, o que depende de um site e um blog responsivos; também é evidente que o SEO se torna ainda mais importante, pois você precisa conectar sua empresa à necessidade dos usuário; em terceiro lugar, você também precisa começar a pensar em otimizar seu site para as buscas por voz.

#3 Solid Social Media

Com certeza você já tem uma estratégia de mídias sociais. Mas quão consistente ela tem sido? Solid Social Media é uma das tendências de inbound marketing justamente porque as marcas estão perdendo o foco no que é realmente importante para gerar valor para suas audiências.

Manter o engajamento dos seus seguidores depende do compartilhamento de conteúdos consistentes e diversificados, compondo um verdadeiro mix de comunicação. Vá além dos blog posts e crie infográficos, vídeos, webinars, gifs, memes, enquetes e outros formatos que chamem a atenção.

Lembre-se que as imagens são de suma importância para uma estratégia de mídias sociais sólida, portanto, capriche no visual e mantenha a frequência. Crie seu calendário de postagens e não o perca de vista.

#4 Live streaming

Parece febre, mas é uma das tendências de inbound marketing que chegaram para ficar: os vídeos ao vivo. Facebook, Snapchat, Twitter, Instagram, Periscope, entre outras redes sociais, estão apostando alto neste recurso que tem tudo para potencializar sua estratégia de inbound.

A transmissão de vídeos ao vivo aproxima sua empresa dos usuários, fornece um material rico, que pode ser gravado e usado em outras produções, e ainda favorece o relacionamento com a sua marca.

#5 Marketing Automation

É verdade, o e-mail marketing continua firme e forte! Somado à personalização do conteúdo e ao storytelling, então, ele pode ser seu maior aliado para obter mais conversões.

77% dos CMOs (Chief Marketing Executives) acreditam que a automação de marketing é responsável por incrementar os resultados de negócios. E 54% dos profissionais da área de marketing perceberam o aumento do engajamento dos leads com estratégias de nutrição.

 

Inbound marketing e funil de vendas: entenda essa relação

Entender a jornada do consumidor é um dos requisitos básicos para desenvolver uma estratégia de inbound marketing. Isso porque ela revela quais são as etapas pelas quais um completo desconhecido passa até se tornar cliente da sua empresa.

A mulher que descobre que está grávida, por exemplo, começa a ter uma série de necessidades e dúvidas que não tinha antes. Então ela senta em frente ao computador e começa a pesquisar no Google. Com todos os demais consumidores, o ponto de partida é o mesmo: a dúvida, a pergunta que não quer calar.

Então começa a fase da descoberta, na sequência vem a etapa de conscientização e, finalmente, a decisão. Dentro de cada uma dessas fases podem haver outras, dependendo do seu nicho de mercado. Mas, como nosso intuito é ajudar ao maior número de pessoas, vamos trabalhar com essas três, combinado?

Jornada do consumidor X funil de vendas

Você já sabe que a jornada do consumidor é a trajetória que uma pessoa percorre até se tornar cliente da sua empresa. Mas o que isso tem a ver com o funil de vendas? Tudo!

O funil de vendas é a tradução da jornada do consumidor para uma forma mais fácil e intuitiva de entender cada etapa pela qual o consumidor passa. Sendo assim:

Jornada do Consumidor Funil de Vendas
Fase de descoberta Topo de funil
Fase de conscientização Meio de funil
Fase de decisão Fundo de funil

No inbound marketing, desenvolvemos uma estratégia para cada etapa do funil de vendas, a fim de ajudar o consumidor a terminar sua jornada mais rapidamente. Desta maneira, você acelera o seu ciclo de vendas, gerando mais receita em menos tempo. Vamos conferir como trabalhar essas etapas no inbound?

Topo de funil

No topo do funil de vendas está todo o seu público-alvo. São pessoas que podem vir a se interessar pelos produtos e serviços da empresa, mas ainda não a conhecem. Neste momento, eles estão com aquela dúvida que não quer calar, e começam a pesquisar sobre determinado problema ou necessidade.

Imagine que uma empresa precisa fortalecer o posicionamento de marca on-line. Uma das dúvidas que surgem é a contratação de uma equipe interna ou de uma agência especializada. Então ela passa a procurar os prós e contras de cada opção. É por isso que chamamos de fase de descoberta.

Nesta etapa sua estratégia de inbound marketing deve ser atrair a atenção desses potenciais clientes com conteúdos que respondam a dúvidas básicas: como, quando, onde, por que, quanto custa, quem, o quê (lembrou do 5W2H?).

Meio de funil

No meio de funil, ou fase de conscientização, os consumidores já sabem do que precisam. Agora eles querem conhecer as opções de solução que o mercado oferece. Digamos que nosso amigo ali de cima decidiu que terceirizar o inbound marketing é melhor. Agora o que ele vai fazer é pesquisar quem são as agências que podem oferecer o serviço a ele.

Este é um momento crucial para qualquer marca, pois você precisa convencer seus leads de que sua empresa é a melhor escolha, mas sem empurrar nada para eles. É aqui que entram estratégias de nutrição de leads, com envio de e-mail marketing personalizado e elaboração de conteúdos mais aprofundados sobre o seu mercado.

E-books, whitepapers, webinars, infográficos com dados e estatísticas, conteúdos mais longos e completos, que ajudem a decifrar tudo o que seus leads precisam. Mas atenção: a nutrição de leads deve ser feita de maneira segmentada, visando atacar direto no ponto de dor de cada lead. Só assim eles seguirão para a próxima etapa.

Fundo de funil

Aqui o consumidor já está convencido da solução que ele busca; já selecionou dois ou três potenciais fornecedores. O que ele precisa é o empurrão final para se dar conta de que sua empresa é a melhor opção.

Para convencê-lo, você precisa ser persuasivo. Use argumentos de autoridade, colocando depoimentos de outros clientes satisfeitos no site da sua empresa. Envie comparativos entre planos, produtos e serviços, de modo a estimular o desejo na mente do seu futuro cliente.

Ofereça demonstrações grátis, contato com um consultor, um material exclusivo de brinde caso ele feche o contrato com você. É hora de conquistar seu cliente!

Por fim, mantenha o relacionamento com esse consumidor. Continue gerando valor com conteúdos ainda mais especializados, programas de fidelidade, ofertas complementares à solução que ele acaba de contratar. O melhor caminho para manter seu funil de vendas sempre ativo é cuidar bem do relacionamento!

 

Invista em inbound marketing e economize até 60% no seu orçamento!

Dando continuidade à nossa série de posts sobre inbound marketing (se você perdeu o primeiro, confira aqui), vamos mostrar como essa metodologia de marketing pode trazer grandes benefícios para sua empresa.

E que história é essa de economizar até 60% no orçamento? Pois é, você vai saber quanto custa fazer inbound marketing e quais são os benefícios dessa estratégia. Não fique parado, temos muito para te contar!

Alcance

Muitas marcas apostam em publicidade paga por acreditarem que ainda é a melhor forma de captar leads e clientes. Mas veja só: um anúncio num dos jornais mais acessados do Brasil custa R$ 1.677,00 por cm, para sair uma única vez.

Um post para o blog da sua empresa, otimizado para SEO, segmentado para o seu público, pensado para ajudar na jornada de compra, pode custar um décimo disso. E o melhor: ele não vai para o lixo junto com o jornal, ele permanece gerando valor para sua empresa durante um longo tempo.

Mesmo que dois anos se passem, esse blog post continuará ajudando a posicionar seu site nos mecanismos de busca, seja pela otimização de palavras-chave ou por compor a reputação do seu site nos mecanismos de busca.

Leads qualificados

Outra estratégia muito utilizada pelas empresas é anunciar em outdoors. Legal ver sua marca estampada num ponto central da cidade, certo? Se você estiver anunciando em Florianópolis, cada peça vai custar em torno de R$ 1.000,00.

Você tem como controlar quem vai acessar esse conteúdo? Tem como mensurar o impacto do investimento antes de a sua campanha acabar? Não. Mas no inbound, você determina seu orçamento, aplica a metodologia e acompanha os resultados em tempo real.

Isso quer dizer que, se o seu blog post não gerou engajamento nas redes sociais no primeiro dia, você pode mudar o título, fazer outra chamada, alterar a imagem ou complementar o conteúdo de forma que ele se torne mais atrativo para o seu público.

Você jamais vai desperdiçar seu orçamento com o inbound marketing, pois tudo pode ser transformado, testado e reaproveitado para gerar mais leads qualificados para sua empresa.

O mais bacana é que boa parte das empresas já descobriu esse trunfo do inbound: 76% das organizações B2B já investem na metodologia e 73% das empresas B2C também já embarcaram nessa. Destas, 42% afirmam que o inbound é a principal fonte de leads qualificados (Hubspot). E você, vai continuar de fora?

Retorno sobre o investimento

Em nosso título, prometemos que você vai economizar até 60% do orçamento de marketing com inbound. E acreditamos que com os dois exemplos acima você já tenha percebido quanto custa fazer inbound marketing em comparação com outras estratégias. Se eles não forem suficientes, a Sales Hub fez outros comparativos que podem terminar de te convencer.

Mas, para concluir nosso post de hoje, queremos destacar mais do que os benefícios financeiros, afinal, o inbound é muito mais do que gerar vendas. Ele gera e fortalece relacionamentos.

  • Com inbound, você cria reputação on-line, mostrando todo o know-how da sua empresa;
  • Criando e compartilhando conteúdo de qualidade, você está educando seu público para que ele tome decisões mais conscientes e, com isso, se sinta mais satisfeito com a sua marca;
  • Otimizando todo seu conteúdo com técnicas de SEO, você melhora o posicionamento do site da empresa nos buscadores, ganhando visibilidade para sua marca;
  • Trabalhando a nutrição de leads, você descobre mais coisas a respeito dos seus consumidores e pode desenvolver estratégias de marketing e vendas personalizadas;
  • Mantendo clientes fiéis, você reduz a necessidade de investimentos em captação de clientes, pois o pilar que mantém seu negócio em funcionamento são seus clientes mais assíduos.

Como você pode perceber, o inbound marketing é uma estratégia completa, que fortalece sua marca, desenvolve relacionamentos e gera vendas. Tudo isso custando muito menos do que várias das estratégias mais adotadas no mercado.

E agora? Pronto para investir em inbound marketing e economizar? Nossa equipe está à sua disposição, entre em contato!

 

 

 

Inbound marketing: desvende essa estratégia!

Dentre as estratégias de marketing que mais têm atraído a atenção das empresas é esse tal de inbound marketing. 88% das organizações com até 25 funcionários apostam mais no inbound do que em outras ações de divulgação e 70% das empresas entre 26 e 200 funcionários fazem o mesmo. Por que será?

Mais de 70% das empresas B2B e B2C querem aumentar o número de conversões; o mesmo número deseja aumentar a quantidade de leads qualificados e oportunidades de negócios; outros 50% querem faturar mais. Esses são os três principais objetivos na implementação de uma estratégia de inbound marketing. Mas será que as empresas conseguem? Vamos descobrir!

O que é inbound marketing de fato?

Comecemos pelo princípio: inbound marketing não é um achado dos últimos 5 anos. O marketing de entrada, como ele também é chamado, existe há bastante tempo. Contudo, vem se tornando mais relevante à medida que o perfil do consumidor muda e as ferramentas de marketing digital nos ajudam a mensurar essas mudanças.

De olho nas transformações do comportamento do consumidor, você pode inverter a jogada de marketing e, ao invés de empurrar produtos e serviços para o seu público, despertar o interesse do público para os seus produtos e serviços. Isso faz diferença?

Faz sim! Quando é o consumidor que te procura, significa que ele tem uma necessidade, um problema a ser resolvido. Seus esforços para tentar convencê-lo de comprar de você são muito menores, pois ele já sabe que precisa da sua solução. O que você tem que fazer é tirar todas as dúvidas e objeções durante a jornada do consumidor, para que ele tome uma decisão de compra mais consciente e satisfatória.

Pensando nisso, os fundadores da Hubspot cunharam o termo “inbound marketing” e desenvolveram uma metodologia para atrair, converter, fechar negócios e encantar clientes. Essa metodologia pode ser traduzida na figura abaixo:

 

Como funciona o inbound marketing

Agora que você já sabe o que é inbound marketing, vamos para a parte prática: como ele funciona? Como você viu na imagem acima, o inbound está dividido em 4 etapas:

Atrair

O mecanismo de atração é o marketing de conteúdo, potencializado por estratégias de SEO e divulgação em redes sociais. Esta etapa é quando você está buscando leads em potencial para sua empresa, ou seja, consumidores que não conhecem sua marca, mas podem estar precisando dos seus produtos e serviços.

Converter

Quando você capta a atenção de um internauta com um conteúdo de qualidade, o próximo passo é fazer com que ele mantenha o contato com sua empresa. Então, você oferece conteúdos especializados, como e-books, disponibilizados em landing pages. As landing pages são páginas criadas especialmente para promover o seu conteúdo e, para ter acesso a ele, o visitante precisa preencher um formulário. Quando você recebe os dados dessa pessoa, ela se tornou um lead.

Fechar

Entre o converter e o fechar, temos um processo chamado de nutrição de leads. Basicamente, você explora as necessidades dos seus leads em conteúdos personalizados e os envia por e-mail para ajudar a tirar aquelas dúvidas que impedem a compra imediata. Quando os consumidores sentem que já têm toda a informação necessária, fecham a compra com a empresa que mais ofereceu valor ao longo deste processo, ou seja, você.

Encantar

Após a primeira compra, você adquiriu um cliente. Mas o intuito é estender o valor deste cliente por muito mais tempo, fazendo com que ele compre novamente da sua empresa. Aqui, a importância do inbound marketing é enorme: você vai continuar nutrindo esse cliente com conteúdos ainda mais direcionados, profundos e relevantes, para que ele mantenha um bom relacionamento com a sua empresa. Quando a nova necessidade surgir, ele lembrará que você esteve ali o tempo todo, ajudando-o a explorar ao máximo as potencialidades da sua solução.

As vantagens dessa solução para sua empresa você confere no nosso próximo post, portanto, não fique de fora, assine nossa newsletter!

 

Todo o poder da Foto de Capa do Facebook ao seu alcance

Do poder das fotos nas redes sociais ninguém duvida, correto? E se você sim, duvida, é só dar uma olhadinha na explosão das redes que se têm como foco principal ela, a toda-poderosa imagem, tais como o Instagram, Pinterest, Flickr, 500px… e a lista segue. Fica fácil perceber que este recurso é um poderoso aliado na hora de cativar sentimentos, conquistar pessoas, educar e entreter.

Mas nem todo mundo dá a devida atenção para o potencial do uso das imagens nas redes que já administra. A foto de perfil é um clássico e, no geral, é uma das mais cuidadas. As fotos que se publicam, idem, e acompanhadas de bons textos, têm muito a oferecer. Mas, tem um tipo de foto que nem sempre recebe tanto carinho, são as fotos de capa, ou banners.

No Facebook, isso é bastante comum. Escolhe-se uma imagem mais ou menos e pronto, é só fazer o upload e ir cuidar do que “realmente importa”. Aí reside o primeiro erro: a primeira impressão é a que fica, e pode até ser que nas seguintes visitas os seus fãs não prestem tanta atenção à foto de capa, mas ela participa ativamente da percepção sobre a sua imagem (agora, imagem como conceito).

Características da Foto de Capa do Facebook

O banner do Facebook não é só uma ‘moldura bonita’, sua função pode ser potencializada muito além da simples ornamentação da sua fan page. Vamos dar uma olhada nas utilidades possíveis deste privilegiado espaço.

#01 – Difusão de Produtos, Promoções e Eventos

Lançou um novo produto no mercado? Que tal então criar uma foto de capa especial para celebrar a ocasião? Além das ações tradicionais – postagens específicas, vídeos, posts patrocinados -, você também pode aproveitar para lançar uma nova peça gráfica na qual exiba sua iniciativa. Para dar um exemplo, Black Fridays, período natalino e outras festividades também são bons momentos para criar banners temporários.

#02 – Reforçar os valores da sua empresa

Nem todo mundo entra na seção “Sobre” na hora que está visitando a sua página, mas absolutamente todos os usuários que passam por ela visualizam, em primeiro lugar, a sua foto de capa. Escolha uma imagem que reflita os valores da sua empresa. As pessoas têm a tendência de serem influenciadas pelas emoções, então, aproveite essa chance, e com uma imagem de enormes proporções (de fato, sem que se esteja no modo visualização de fotos, o banner é a maior imagem que aparece no Facebook).

#03 – Aproveite o Stopping Power da Foto de Capa

A Internet está cheia de imagens, de tudo quanto é tipo. Mesmo assim, algumas são capazes de pausar por um instante o permanente ‘scrolling’ tão comum nas redes sociais. Esse é o momento ideal para você escolher uma imagem de alto impacto, com cores vibrantes (pode até ser uma frase de efeito). Além disso, não esqueça que a foto de capa do Facebook é exibida nos anúncios que você impulsiona, daí dá pra entender a importância de apresentar uma gráfica que chame a atenção.

Também importante: não se esqueça de criar uma imagem de acordo com as dimensões mínimas sugeridas pelo Facebook. Neste caso, o tamanho padrão é 828 x 315 px. Qualquer foto que você carregue e tenha menos que isso será mal visualizada, o que não favorece sua imagem institucional.

E você, tem usado sabiamente este espaço? Recomendamos que faça provas, experimente, sempre dentro dos padrões exigidos pela rede social mais importante do nosso tempo. Depois, adoraríamos saber os resultados de seus testes! Esperamos que tenha gostado de nosso artigo. Até breve!

 

3 tipos de conteúdos que as empresas deveriam investir

Embora o Marketing de Conteúdo tenha alcançando maior notoriedade nos últimos anos – graças às Redes Sociais – o conceito não tem nada de novo: a revista The Furrow, atuante desde 1895, é um ótimo exemplo da prática.

A grande demanda de produtos e serviços transformou o comportamento do consumidor. Mais exigente, ele quer muito mais do que preços vantajosos. Hoje, os consumidores procuram valores agregados aos serviços e produtos e, mais uma vez, o marketing de conteúdo desempenha um papel essencial na hora da tomada de decisão.

 

Não tenha medo de ousar

Para usar o Marketing de Conteúdo a favor da sua empresa, no entanto, é preciso conhecer seu público profundamente.

De acordo com o consultor e professor universitário Paulo Silvestre, “o Marketing de Conteúdo é pautado pela utilidade e interesse do público. Com ele, as empresas não falam sobre si mesmas ou sobre seus produtos. Falam de assuntos que tenham relação com o seu público”.

Portanto, para atingir o seu público-alvo e impactá-lo positivamente, não tenha medo de experimentar outros formatos e ser diferente dos seus concorrentes. Você pode tirar a sorte grande com o seu conteúdo da maneira menos provável e acabar aprendendo algo com os seus clientes.

 

Os tempos são outros. Dê espaço ao atual

Está na hora de acabar com o pensamento de que criar conteúdo significa escrever posts em um blog ou atualizar o status de sua página no Facebook. O conteúdo vai além do trivial: criar filmes, apps e até um trabalho que una oportunidade e bom jornalismo, como o projeto mais recente do Google.

É tempo de sair do óbvio e partir para uma aproximação mais multimídia do seu público, afinal de contas, todos têm uma história para contar. O modo como você a conta é que pode virar o jogo para sua empresa.

 

3 tipos de conteúdo que a sua empresa deve investir

  1. Vídeo

Hoje em dia não há mais espaço para desculpas como: “fazer um vídeo é caro e leva muito tempo”, ou “não sou diretor e, portanto, não sei fazer vídeos”.

Aplicativos simples e gratuitos, como o Snapchat, o Periscope, o Facebook live e a mais recente novidade, o Instagram Stories, são apenas alguns exemplos de conteúdos em vídeo mais consumidos pelos usuários ativos dessas plataformas (só no Facebook são mais de 80 milhões só no Brasil).

Mesmo que você opte por contratar profissionais para fazer uma série de conteúdos em vídeo para sua empresa, o investimento vai render bons retornos, desde que a regra de ouro do Marketing de Conteúdo seja respeitada e os vídeos tenham a finalidade de entreter e/ou informar o seu público, e não vender o seu produto (esse papel é do Inbound Marketing).

Uma produtora que realiza vídeos para este fim é a DIVION (www.divion.com.br).

  1. Aplicativos

Criar aplicativos que sirvam para facilitar a vida de seu cliente é uma ótima maneira de entrar no radar de relevância do seu público-alvo.

Leve como exemplo os aplicativos de serviço de taxis ou os aplicativos que localizam os festivais de Food Truck mais próximos da residência do seu cliente. Você pode ainda desenvolver uma ferramenta para o seu site que informe ao seu cliente como utilizar o seu produto e tirar melhor proveito de todas as suas funções.

As possibilidades são infinitas.

 

  1. Infográficos

 Certamente você já deve ter se deparado com muitos infográficos por aí. As mais novas versões desse tipo de conteúdo são interativas, o que chama mais ainda a atenção do seu público.

O infográfico representa uma maneira diferente – e até divertida – de apresentar informações. Além disso, os números não mentem: de acordo com pesquisas no campo, 40% dos leitores respondem melhor aos recursos visuais do que aos textos simples.

Outro ponto importante de um infográfico é que você economiza tempo: você poderá expor em 100 palavras o que levaria 600 em um texto normal, por exemplo.

 

Os elementos principais do conteúdo

Não importa qual tipo de conteúdo você escolha investir daqui para a frente, lembre-se que a inovação e a criatividade deverão sempre estar presentes. Conte uma história da maneira mais inusitada possível e, certamente, você será recompensado por isso.